“Emily Dickinson: Imagem, Ritmo, Pensamento” – Adalberto MÜLLER

Portal E.M. Cioran Brasil

Revista CULT,

Emily Dickinson está entre os poetas mais traduzidos da língua inglesa, depois de Shakespeare. Na França, por exemplo, é possível encontrar à venda, nas grandes livrarias, pelo menos três coletâneas assinadas por diferentes tradutores, além da poesia completa traduzida. Na Espanha, além das coletâneas, há três edições diferentes de sua poesia completa em circulação. Em língua portuguesa, ainda não temos nenhuma edição da poesia completa (como a que estamos fazendo, com previsão de lançamento em 2019), mas uma quantidade enorme e variada de traduções, publicadas separadamente ou em livro. Entre os ilustres tradutores da poesia de Emily Dickinson encontram­‑se Manuel Bandeira, Mário Faustino, e Augusto de Campos, que lhe dedicou um livreto. Em Portugal, foi traduzida por ninguém menos que Jorge de Sena e por Ana Luísa Amaral, que, em 2014, publicou uma excelente antologia de duzentos poemas.

A que se deve esse interesse tão variado e…

Ver o post original 655 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s